Série infantil da Netflix mostra decapitação e canibalismo

Conteúdo tem sido criticado por conta de a censura ser apenas para menores de 10 anos

Série infantil da Netflix mostra decapitação e canibalismo
Série da Netflix tem sido criticada nas redes Foto: Divulgação/Netflix

Um conteúdo infantil lançado pela plataforma Netflix, no início deste mês, tem causado polêmica e atraído muitas críticas negativas nas redes sociais. O conteúdo em questão é a série Um Conto Sombrio dos Grimm, cujo título original é A Tale Dark and Grimm. A motivação das reclamações reside no fato de que a série mostra, como o próprio nome diz, elementos sombrios.

Entre os temas representados na série e que vêm sendo contestados pelo público, estão canibalismo, decapitação, abandono de crianças e idas ao inferno. A polêmica em relação ao conteúdo audiovisual está, principalmente, na censura etária imposta à série, que é “não recomendada para menores de 10 anos”.

O enredo de Um Conto Sombrio dos Grimm é uma adaptação do clássico conto de fadas alemão Hänsel und Gretel, traduzido no Brasil como João e Maria, escrito em 1812 pelos irmãos Grimm, daí o nome da série. Na história exibida na Netflix, João e Maria são filhos do rei e da rainha, e, devido a uma situação em que se envolvem, os monarcas decidem cortar as cabeças dos filhos.

Após decapitarem os filhos, os pais usam um cordão de ouro produzido pelo diabo para costurar o pescoço deles novamente, ou seja, para trazê-los de volta à vida. Após ressuscitarem, João e Maria decidem fugir de casa. Mais tarde, o menino se transforma em uma espécie de lobisomem e passa a comer os animais da floresta, enquanto a menina sonha com a família perfeita.

O enredo é narrado a partir do ponto de vista de um corvo que é acompanhado por outros dois corvos. Um dos animais se esforça para evitar que cenas com muita violência sejam exibidas, por vezes posicionando-se na frente da tela, enquanto outro deles fica torcendo para que o conteúdo tenha mais violência e carnificina.