Nuvem gigante de cinza lançada por vulcão Monte Semeru assusta moradores na Indonésia

Erupção já tinha acontecido em janeiro deste ano

Grande erupção vulcânica teve início neste sábado e moradores da ilha indonésia de Java fogem de uma vasta nuvem de cinzas. É a segunda vez em meses em que o Monte Semeru explode na região. Nenhuma vítima ainda foi registrada e as evacuações estão em andamento, disseram as autoridades locais.

Testemunhas disseram que uma chuva forte de cinzas vulcânicas do Monte Semeru estava bloqueando o sol em dois distritos locais, fazendo o dia virar noite. O centro de monitoramento aéreo de atividade vulcânica regional (VAAC) emitiu um alerta às companhias aéreas de uma nuvem de cinzas alcançando até 15 mil metros de altitude ou 50 mil pés.

Thoriqul Haq, chefe do distrito de Lumajang perto de Semeru, disse à imprensa que uma estrada e ponte que ligava Lumajang à cidade vizinha de Malang foram cortadas. Imagens na mídia social mostraram residentes fugindo enquanto uma nuvem de cinzas gigante se erguia atrás deles.

A erupção de alto nível no vulcão Semeru, Java Oriental, Indonésia, começou por volta das 07:00 UTC (4h deste sábado em Brasília). O código de cores da aviação foi elevado para vermelho.

Às 09:20 UTC (6h20 em Brasília), a nuvem de cinzas foi estimada subindo até 15,2 km (50 000 pés) acima do nível do mar, de acordo com o VAAC da Darwin, na Austrália, responsável pelos alertas para os pilotos de atividade vulcânica na região.

“Cinzas vulcânicas observadas nas últimas imagens de satélite RGB e visível movendo-se para Sudoeste do cume. Temperatura de -85°C obtida corresponde a 15,2 km (50 000 pés)”, reportou o VAAC de Darwin.

Semeru, ou Monte Semeru (em indonésio Gunung Semeru), é um vulcão ativo em Java Oriental, na Indonésia. Está localizado na zona de subducção em que a placa tectônica Indo-Australiana se subduz sob a placa da Eurásia. É a montanha mais alta da ilha de Java.

A história eruptiva de Semeru é extensa. Desde 1818, pelo menos 55 erupções foram registradas (10 das quais resultaram em fatalidades), consistindo em fluxos de lava e fluxos piroclásticos. Todas as erupções históricas tiveram um Índice de Explosividade Vulcânica (VEI) de 2 ou 3. Semeru esteve em um estado de erupção quase constante de 1967 até o os dias de hoje.

Fonte: Metsul