Menina de 11 anos contrai gonorreia após mergulhar em piscina termal

Garota estava de férias com a família na Itália quando começou a sentir os sintomas da doença. Caso é raro, mas não é o primeiro documentado

Menina de 11 anos contrai gonorreia após mergulhar em piscina termal

Em um caso muito raro, uma menina de 11 anos contraiu gonorreia, uma infecção sexualmente transmissível (IST), sem ter tido contato sexual. A austríaca estava de férias com a família na Itália, e passou um dia nadando em uma piscina termal. Dois dias depois, começou a sentir ardência na região da vagina.

A família procurou ajuda médica, e foi recomendado o uso de antifúngicos. Duas semanas depois a menina continuava sentindo dor e, de volta à Áustria, foi finalmente diagnosticada com a IST. Os outros membros da família testaram negativo para a infecção, e a criança afirmou não ter feito sexo. Ela foi tratada com antibióticos, e já é considerada curada.

O caso foi descrito na revista científica Journal of Medical Case Reports. De acordo com os médicos que atenderam a criança, a temperatura morna da água pode criar um ambiente ideal para a proliferação de bactérias, como a Neisseria gonorrhoeae, responsável pela gonorreia. Este não é o primeiro caso documentado de crianças infectadas após banho em piscinas públicas.

Segundo estudos, uma a cada 10 pessoas contaminadas sequer sente os sintomas da infecção. Os sinais mais comuns da gonorreia são dor ao urinar e secreção vaginal — em alguns casos, pode acontecer sangramento fora do período menstrual e dor pélvica.

Sem tratamento, a gonorreia pode causar infertilidade e doença inflamatória pélvica, além da possibilidade de artrite infecciosa. Para controlar a bactéria são usados antibióticos, e o quadro pode ser resolvido em menos de uma semana.