Eu voava na imaginação...

Eu voava na imaginação...

O tanque de minha casa
Era um mar de brincadeiras...
Eu tinha um submarino
Eu era a mergulhadora...
Nas sete mil léguas submarinas
Eu vencia monstros, era heroína
Sozinha ou com meus irmãos

Naquele tanque a água era viva...
De brincadeiras de crianças...
E como sujávamos essa água
A minha mãe ficava brava
E nos mandava limpar...
A tarefa que era dada
Era outra brincadeira...
Todos ao mesmo tempo
Nos púnhamos a mergulhar...

Brincadeira de criança
Ainda há tanto a contar...
Mas, pra não te cansar
Mais contos ficam pra amanhã
Eles são poesias infantis
Histórias jamais esquecidas
Dentro delas fui e sou feliz!

Liane Souza.
Direitos autorais reservados.
Imagem da internet.