Espaço do leitor: Doenças que podem ser transmitidas pelos cachorros e outros animais de ruas

Espaço do leitor: Doenças que podem ser transmitidas pelos cachorros e outros animais de ruas
Imagem: Animais solto nas ruas de Arez Foto: Leitor/ Arquivo pessoal
Cotidianamente vemos situações como essas nas ruas de Arez, não apenas com os cachorros, mas também com os gatos e por vezes animais maiores como cavalos e jumentos. Apesar de aparentar normalidade e acontecer também em outras cidades, essa cena esconde um problema urbano muito maior, que é a transmissão de zoonoses e também o risco de vida que esses animais correm.

Doenças como a Escabiose, conhecida como Sarna, podem ser transmitida diretamente para o ser humano, assim como a Raiva. Transmitida de forma indireta, através do mosquito, existe a perigosa Leshimaniose que é endemica na nossa região.

Além das zoonoses, os animais soltos nas ruas podem sofrer maus tratos, serem atropelados, apedrejados e brigarem entre si. Comumente é visto alguns deles muito machucados, com fome e sede. Infelizmente a sociedade fecha os olhos para essas situações. Incrivelmente alguns possuem tutores e esses dizem que eles "saem para passear" e depois voltam para casa. Entretanto, uma boa parcela mora nas ruas e passam frio e são mais expostos as adversidades.

Uma particularidade da cidade de Arez é que os feirantes diversas vezes trazem cachorros de outras regiões e os abandonam nas praças central da cidade sem nenhum remorso, talvez por saberem que aqui há pessoas bondosas que alimentam e cuidam dos animais de rua, na medida do possível e com os próprios recursos. Uma ação autruista para com esses inocentes.

Indubitavelmente, esse problema precisa ser debatido com celeridade e seriedade, pois a sua resolução passa pelo poder público e principalmente pela ação individual das pessoas que corroboram para a formação dessa situação. O poder público pode criar um setor de recolhimento, tratamento e castração desses animais para doações posteriores, como também fiscalizar os carros de feirantes que chegam a cidade. Por outro lado, a população precisa mudar seus olhares para essas situações e entender que o abandono e maus tratos são crime e elas podem responder judicialmente, sob pena de reclusão de dois anos, dessa forma, quem quiser denunciar o número é o 181 do IBAMA ou o 190 da polícia.
Por: Einstein Duarte