Diretor diz que Round 6 não é para crianças e pede prudência

Hwang Dong-hyuk falou sobre sucesso da série e dos planos para segunda temporada

Diretor diz que Round 6 não é para crianças e pede prudência
Diretor diz que Round 6 não é para crianças e pede prudência

O criador da série Round 6, da Netflix, Hwang Dong-hyuk, afirmou estar espantado com o fato de que crianças e adolescentes têm assistido à série. O cineasta se diz animado com o sucesso da produção, mas pediu “prudência” aos pais, destacando que a atração não foi feita para os pequenos.

Não estou em nenhuma rede social, então nem pensei na possibilidade de crianças assistirem [à série] por essas mídias. Essa obra não é para elas. Estou perplexo que crianças estejam vendo. Espero que os pais e os professores ao redor do mundo sejam prudentes, para que elas não sejam expostas a esse tipo de conteúdo – declarou, em entrevista ao jornal O Globo.

Round 6 ou Squid Game conta a história de 456 pessoas falidas que participam de jogos infantis mortais para ganhar bilhões em dinheiro. Com cenas de assassinato, suicídio, tráfico de órgãos e sexo, a série possui classificação indicativa de 16 anos.

No caso de crianças que já tenham assistido à produção, o diretor de Round 6 pede que os adultos as ajudem a “entender o significado do que está por trás ” da série. “Torço para que haja boas conversas”, acrescentou.

SUCESSO E PLANOS PARA UMA NOVA TEMPORADA
A produção estreou em 17 de setembro e, desde então, tem tido um sucesso explosivo, chegando a se tornar a mais vista da Netflix em 90 países.

– Não previ esse nível de sucesso. Estou animado, mas assustado também. Há três semanas, vivo uma montanha-russa emocional – conta o cineasta.

Dong-hyuk, que afirmava não ter ideias para a segunda temporada, tem sido pressionado pelos fãs para preparar um roteiro de continuação. Ele tem conversado com executivos da Netflix sobre as novas possibilidades (alerta de spoiler).

 Penso que, se fizer, será em cima da tentativa de Gi-hun (o ator Lee Jung-jae) em achar as pessoas que fazem parte do jogo, como o homem com quem ele brincou com o papel. Acho que ele tentaria encontrá-lo. Há também a história do policial, se ele está vivo ou não. Mas são só ideias – ponderou.

Antes do grande sucesso, a série teve dificuldades para atrair investimentos da indústria do entretenimento. Para Dong-hyuk, a crise mundial contribuiu para uma mudança de mentalidade sobre o enredo.

– É triste dizer isso, mas a situação do mundo piorou. A desigualdade entre ricos e pobres ficou ainda maior, e a quantidade de pessoas em sofrimento aumentou. Ainda veio a pandemia. Os países pobres não têm como comprar vacinas. Então, o problema é universal. A história não é mais surreal ou estranha. Chegamos ao clímax de popularidade. Espero que isso se mantenha.