Consciência não tem cor

Consciência não tem cor
Consciência não tem - Imagem: Arez Online

Consciência não tem cor

Querem esquecer a história e a dor da pele negra...

Que, nos canaviais, adoçavam a mesa dos senhores

Que, no plantio e na colheita do café, suava o ouro negro...

Que, nos brancos algodoeiros, não tinha direito algum...

Pois, o algodão de lá não vestia pele negra, pele de tudo nua Liane Souza

Mas um dia levantou um negro e pôs-se a lutar contra a escravidão 

Sua pele se tornou dura feito cedro... E ele lutou até o final pela abolição!

Por isso, pela inveja, foi traído e perseguido 

Mas um dia essa injustiça teve fim?

Penso que não, pois até hoje, os negros são caçados e mal vistos

Preconceito e racismo existem sim! Osny Alves

Então não há como esquecer...As dores continuam presentes

No asfalto ou nas comunidades...

São negadas as oportunidades...São chicotes disfarçados

Nas mãos dos "Homens de bem" Liane Souza

Mas até hoje não é a cor o motivo dessa farsa

Talvez outros Zumbis nasçam pra gritar essa verdade

Para que essa farsa, finalmente, se desfaça

E unidos sejamos mais felizes Osny Alves

Mas a nossa consciência nos chama a acordar

Para o combate ao racismo, o racismo estrutural

Sedimentado por séculos... Séculos de discriminação

Portanto, digo a você irmão...

Você que é de escrever... Escreva!

Você que é de falar...Fale!

Porque ainda há milhares... Milhares vozes mudas...

Eu penso assim... Consciência não tem cor, ela existe em nossa mente...

E é fruto de muita luta, muita dor e muito amor. Liane Souza.

Dueto de Liane Souza e Osny Alves.

Direitos autorais reservados.